Bomba XR5000

Bombas de amostragem são importantes para avaliar a presença e concentração de agentes químicos no ar, colaborando para a construção de um PPRA de qualidade.

Afinal, é necessário reconhecer e quantificar o risco químico para, então, estabelecer medidas de controle e preservar a saúde do trabalhador.

Neste artigo, vamos explicar melhor essa relação entre as bombas de amostragem para Higiene Ocupacional e o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA), com dicas para a escolha dos melhores instrumentos.

Boa leitura!

O que é bomba de amostragem para Higiene Ocupacional?

Bomba de amostragem de ar para Higiene Ocupacional é um equipamento portátil usado para avaliar a exposição a gases, vapores, poeiras, fumos e névoas no ambiente de trabalho.

Também conhecido como bomba gravimétrica, esse instrumento faz parte do sistema de coleta necessário para medir a concentração de agentes químicos no ar.

As bombas forçam a passagem do ar pelo amostrador (dispositivo de coleta), que capta o contaminante, permitindo que seja mensurado posteriormente, através da análise feita em um laboratório especializado em Higiene Ocupacional.

Para compensar as variações durante a coleta, os equipamentos contam com um sistema de controle de vazão constante, que garante a precisão do fluxo de ar fornecido pela bomba de amostragem.

Essenciais para analisar a pureza do ar, esses instrumentos auxiliam profissionais de segurança e saúde do trabalho na elaboração de um PPRA eficiente, com medidas de controle adequadas para cada ambiente de trabalho.

O que é PPRA?

O Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) é um conjunto de ações que visa eliminar, reduzir ou controlar riscos – químicos, físicos e biológicos – contidos no ambiente de trabalho.

No Brasil, o PPRA dá nome a uma das Normas Regulamentadoras previstas na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), relativas à segurança e medicina do trabalho – a NR-09.

De acordo com a norma, o Programa compreende seis etapas:

  • Antecipação e reconhecimento dos riscos
  • Estabelecimento de prioridades e metas de avaliação e controle
  • Avaliação dos riscos e da exposição dos trabalhadores
  • Implantação de medidas de controle e avaliação de sua eficácia
  • Monitoramento da exposição aos riscos
  • Registro e divulgação dos dados.

O que são riscos químicos?

Riscos químicos se referem ao potencial de agentes químicos causarem danos à integridade ou à saúde do trabalhador.

Conforme define a NR-09, agentes químicos são substâncias que podem ser inaladas, ingeridas ou penetrar o organismo do trabalhador através da pele.

Devido a fatores como a concentração no ambiente, atividade do trabalhador, intensidade e/ou tempo de exposição, os agentes químicos são capazes de causar danos à saúde.

Grande parte dessas substâncias se apresenta na forma de poeiras, vapores, gases, névoas, fumos e neblinas, que precisam ser mensurados e quantificados para prevenir eventos e doenças relacionadas ao trabalho.

Daí a importância de utilizar instrumentos de medição apropriados, a exemplo das bombas de amostragem.

Como escolher a bomba ideal para o seu PPRA?

Para dar o suporte necessário ao Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA), é essencial que a bomba atenda a requisitos técnicos e de qualidade.

A seguir, detalhamos os principais.

Se quiser se aprofundar no assunto, recomendamos a leitura deste artigo, em que o higienista ocupacional e diretor técnico da Faster, Reinaldo Morelli, esclarece outras dúvidas.

  1. Adequação ao ambiente de trabalho

Existem vários modelos de bomba de amostragem para Higiene Ocupacional, desde os mais básicos até os mais modernos, que podem ser utilizados em diversos ambientes de trabalho.

No entanto, há locais que pedem modelos intrinsicamente seguros, a exemplo de áreas classificadas como atmosferas potencialmente explosivas.

Por isso, esteja atento não apenas ao tipo de risco, mas também ao ambiente que será avaliado.

  1. Sistema de compensação de vazão eficaz

Como citamos nos tópicos anteriores, esse sistema garante a precisão do volume de ar coletado pela bomba.

Ou seja, em caso de variação da resistência do ar, da pressão atmosférica ou temperatura, o sistema mantém a vazão sempre constante, conforme ajustado pelo higienista ocupacional no início da coleta.

  1. Sistema de amortecimento de pulsos

Podemos definir os pulsos como pequenos picos de vazão que são registrados em intervalos curtos de tempo.

Como as bombas de amostragem produzem fluxo de ar, é comum que gerem, também, pulsos.

O problema é que esses picos interferem no volume de ar efetivamente coletado pelo equipamento e, por consequência, no cálculo da concentração do agente químico.

Esse quadro se agrava quando há uso de separadores de partículas (ciclones, por exemplo) ou tubos adsorventes para a coleta de gases e vapores.

Equipamentos com sistema de amortecimento de pulsos corrigem os picos de vazão, dando confiabilidade às concentrações coletadas pelo amostrador.

  1. Sistema de indicação de falha de fluxo

Mecanismo que força a parada da bomba, de forma automática, quando a pressão de entrada do ar supera a capacidade de compensação do equipamento.

Também informa ao usuário a ocorrência de uma ou mais interrupções durante o período de coleta – o que pode distorcer o volume registrado.

  1. Qualidade

Além dos requisitos acima, é fundamental avaliar a qualidade dos materiais, opções de faixa de vazão, baterias recarregáveis, duração da bateria, etc.

Prefira, ainda, produtos de fabricantes e distribuidores confiáveis, que estejam disponíveis para tirar possíveis dúvidas.

Especializada em instrumentação para Higiene Ocupacional, a Faster oferece atendimento personalizado para ajudar você a selecionar o melhor produto.

Somos representantes, no Brasil, da SKC, a maior fabricante mundial de bombas de amostragem e insumos para coleta e análise de agentes químicos.

Visite esta página para conhecer a linha completa da SKC, com 10 modelos de equipamentos à sua escolha.

Sobre a Faster

Tendo como pilares compromisso e qualidade, a Faster oferece soluções em instrumentação para a identificação e caracterização de riscos ocupacionais.

Para isso, aposta na parceria e distribuição de produtos das principais marcas do setor, a exemplo da SKC, Brüel & Kjær e OHD (Occupational Health Dynamics).

Nosso portfólio inclui equipamentos como bombas de amostragem, audiodosímetros, detectores de gases e ensaio de vedação de respiradores.

Clique aqui para conhecer todas as opções.

Conclusão

Tratamos, neste texto, sobre bombas de amostragem para Higiene Ocupacional e sua relevância na elaboração de um PPRA eficiente.

Também trouxemos um guia para te ajudar na aquisição do melhor equipamento.

Se ficou alguma dúvida ou sugestão, deixe uma mensagem em nosso chat (nesta caixa de diálogo à direita).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *